segunda-feira, 30 de abril de 2012

Dia Nacional da Mulher


O papel da mulher na sociedade

Muito recentemente, a propaganda de televisão de uma grande marca mundial de automóveis tentava vender seu produto ilustrando a mudança do papel social da mulher. Uma jovem com trajes de executiva chegava em casa após um dia de trabalho e cumprimentava seu marido, o qual estava ocupado preparando a refeição da família. Para surpresa desse homem, que “comandava” a cozinha e cuidava de suas filhas, sua esposa o presentearia com um carro novo. A partir dessa cena, rapidamente aqui descrita, pode surgir a seguinte pergunta: esse comercial faria sentido décadas atrás? Certamente que não. Contudo, essa resposta carece de uma explicação menos simplista, e requer uma maior compreensão do que se chama de questões de gênero e papéis sociais.
Mulheres e homens ao longo de boa parte da história da humanidade desempenhavam papéis sociais muito diferentes. Mas do que se trata o papel social? Segundo a Sociologia, trata-se das funções e atividades exercidas pelo indivíduo em sociedade, principalmente ao desempenhar suas relações sociais ao viver em grupo. A vida social pressupõe expectativas de comportamentos entre os indivíduos, e dos indivíduos consigo mesmos. Essas funções e esses padrões comportamentais variam conforme diversos fatores, como classe social, posição na divisão social do trabalho, grau de instrução, credo religioso e, principalmente, segundo o sexo. Dessa forma, as questões de gênero dizem respeito às relações sociais e aos papéis sociais desempenhados conforme o sexo do indivíduo, sendo o papel da mulher o mais estudado e discutido dentro dessa temática, haja vista a desigualdade sexual existente com prejuízo para a figura feminina. Assim, enquanto o sexo da pessoa está ligado ao aspecto biológico, o gênero (ou seja, a feminilidade ou masculinidade enquanto comportamentos e identidade) trata-se de uma construção cultural, fruto da vida em sociedade. Em outras palavras, as coisas de menino e de menina, de homem e de mulher, podem variar temporal e historicamente, de cultura em cultura, conforme convenções elaboradas socialmente.
As diferenças sexuais sempre foram valorizadas ao longo dos séculos pelos mais diferentes povos em todo o mundo. Algumas culturas – como a ocidental – associaram a figura feminina ao pecado e à corrupção do homem, como pode ser visto na tradição judaico-cristã. Da mesma forma, a figura feminina foi também associada à ideia de uma fragilidade maior que a colocasse em uma situação de total dependência da figura masculina, seja do pai, do irmão, ou do marido, dando origem aos moldes de uma cultura patriarcalista e machista. Assim, esse modelo sugeria a tutela constante das mulheres ao longo de suas vidas pelos homens, antes e depois do matrimônio.
Aliás, o casamento enquanto ritual marcaria a origem de uma nova família na qual a mulher assumira o papel de mãe, passando das “mãos” de seu pai para as de seu noivo, como se vê no ato da cerimônia.
Mas como aqui já se abordou, se as noções de feminilidade e masculinidade podem mudar ao longo da história conforme as transformações sociais ocorridas, isto foi o que aconteceu na cultura ocidental, berço do modo capitalista de produção. Com o surgimento da sociedade industrial, a mulher assume uma posição como operária nas fábricas e indústrias, deixando o espaço doméstico como único locus de seu trabalho diário. Se outrora a mulher deveria apenas servir ao marido e aos filhos nos afazeres domésticos, ou apenas se limitando às tarefas no campo – no caso das camponesas europeias, a Revolução Industrial traria uma nova realidade econômica que a levaria ao trabalho junto às máquinas de tear. Obviamente, não foram poucos os problemas enfrentados pelas mulheres, principalmente ao se considerar o contexto hostil de um regime de trabalho exaustivo no início do processo de industrialização e formação dos grandes centros urbanos.
Após um longo período de opressão e discriminação, a passagem do século XIX para o XX ficou marcada pelo recrudescimento do movimento feminista, o qual ganharia voz e representatividade política mais tarde em todo o mundo na luta pelos direitos das mulheres, dentre eles o direito ao voto. Essa luta pela cidadania não seria fácil, arrastando-se por anos. Prova disso está no fato de que a participação do voto feminino é um fenômeno também recente para a história do Brasil. Embora a proclamação da República tenha ocorrido em 1889, foi apenas em 1932 que as mulheres brasileiras puderam votar efetivamente. Esta restrição ao voto e à participação feminina no Brasil seriam consequência do predomínio de uma organização social patriarcal, na qual a figura feminina estava em segundo plano. Mesmo com alguns avanços, ainda no início da segunda metade do século XX, as mulheres sofriam as consequências do preconceito e do status de inferioridade. Aquele modelo de família norte-americana estava em seu auge, em que a figura feminina era imaginada de avental e com bobs nos cabelos, no meio da cozinha, envolta por liquidificador, batedeira, fogão, entre outros utensílios domésticos. Seria apenas no transcorrer das décadas de 50, 60 e 70 que o mundo assistiria mudanças fundamentais no papel social da mulher, mudanças estas significativas para os dias de hoje. O movimento contracultural encabeçado por jovens (a exemplo do movimento Hippie) transgressores dos padrões culturais ocidentais outrora predominantes defendiam uma revolução e liberação sexual, quebrando tabus para o sexo feminino, não apenas em relação à sexualidade, mas também no que dizia respeito ao divórcio.
Como se sabe, o desenvolvimento de novas tecnologias para a produção requer cada vez menos o trabalho braçal, necessitando-se cada vez mais de trabalho intelectual. Consequentemente, criam-se condições cada vez mais favoráveis para a inserção do trabalho da mulher nos mais diferentes ramos de atividade. Ao estudar cada vez mais, as mulheres se preparam para assumir não apenas outras funções no mercado de trabalho, mas sim para assumir aquelas de comando, liderança, cargos em que antes predominavam o terno e a gravata. Essa guinada em seu papel social reflete não apenas nas relações de trabalhos em si, mas fundamentalmente nas relações sociais com os homens de maneira em geral. Isto significa que mudanças no papel da mulher requerem mudanças no papel do homem, o qual passa por uma crise de identidade ao ter de dividir um espaço no qual outrora reinava absoluto.
Mulheres com maior grau de escolaridade diminuem as taxas de natalidade (têm menos filhos), casam-se com idades mais avançadas, possuem maior expectativa de vida e podem assumir o comando da família como no exemplo da propaganda de automóvel citada. Obviamente, vale dizer que as aspirações femininas variam conforme seu nível de esclarecimento, mas também conforme a cultura em que a mulher está inserida.
Contudo, é preciso se pensar que mesmo com todas essas mudanças no papel da mulher, ainda não há igualdade de salários, mesmo que desempenhem as mesmas funções profissionais, ainda havendo o que se chama de preconceito de gênero. Além disso, a mulher ainda acaba por acumular algumas funções domésticas assimiladas culturalmente como se fossem sua obrigação e não do homem – funções de dona de casa. Da mesma forma, infelizmente a questão da violência contra a mulher ainda é um dos problemas a serem superados, embora a “Lei Maria da Penha” signifique um avanço na luta pela defesa da integridade da mulher brasileira.
Mas a pergunta principal vem à tona: qual o papel da mulher na sociedade atual? Pode-se afirmar que a mulher de hoje tem uma maior autonomia, liberdade de expressão, bem como emancipou seu corpo, suas ideias e posicionamentos outrora sufocados. Em outras palavras, a mulher do século XXI deixou de ser coadjuvante para assumir um lugar diferente na sociedade, com novas liberdades, possibilidades e responsabilidades, dando voz ativa a seu senso crítico. Deixou-se de acreditar numa inferioridade natural da mulher diante da figura masculina nos mais diferentes âmbitos da vida social, inferioridade esta aceita e assumida muitas vezes mesmo por algumas mulheres.
Hoje as mulheres não ficam apenas restritas ao lar (como donas de casa), mas comandam escolas, universidades, empresas, cidades e, até mesmo, países, a exemplo da presidenta Dilma Roussef, primeira mulher a assumir o cargo mais importante da República. Dessa forma, se por um lado a inversão dos papéis sociais ilustrada pela campanha publicitária (citada no início do texto) de um automóvel está em dissonância com um passado não tão distante, por outro lado mostra os sinais de um novo tempo que já se iniciou. Contudo, avanços à parte, é preciso que se diga que as questões de gênero no Brasil e no mundo devem sempre estar na pauta das discussões da sociedade civil e do Estado, dada a importância da defesa dos direitos e da igualdade entre os indivíduos na construção de um mundo mais justo.


Paulo Silvino Ribeiro
Colaborador Brasil Escola
Bacharel em Ciências Sociais pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas
Mestre em Sociologia pela UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Doutorando em Sociologia pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

sábado, 28 de abril de 2012

A importância da Saúde e suas Definições


Falar de saúde, é a mesma coisa que falar em vida...
Existem dois tipos de saúde, mental e física; as duas possuem suas importância, a física para sustentação do nosso corpo e a mental para termos forças suficientes para enfrentar os obstáculos.


Mental: Hoje é evidente que a disposição mental, alinhada com o fluxo de energias da biologia pode oferecer curas e o bem estar. A mente é uma ferramenta que pode ser usada da forma que se quer, o modo como usá-la, depende de cada ser humano.




Física: Atividade física regular pode melhorar sua saúde e reduzir os risco de morte prematura das seguintes formas:
· Reduz o risco de desenvolver doença cardíaca coronária e as chances de morrer disso
· Reduz o risco de infarto.
· Reduz o risco de ter um segundo ataque cardíaco em pessoas que já tiveram um ataque.
· Diminui tanto o colesterol total quanto os triglicerídeos, e eleva o bom colesterol HDL.
· Diminui o risco de desenvolver pressão alta.
· Ajuda a reduzir a pressão arterial em pessoas que já têm hipertensão.
· Diminui o risco de desenvolver diabetes tipo 2 (não dependente de insulina).
· Reduz o risco de câncer de cólon.
· Ajudas as pessoas a conseguirem e manter um peso ideal.
· Reduz os sentimentos de depressão e ansiedade.
· Promove o bem-estar psicológico e reduz sentimentos de estresse.
· Ajuda a construir e manter articulações, músculos e ossos saudáveis.
· Ajuda pessoas mais velhas a ficarem mais fortes e serem mais capazes de moverem-se sem cair o ficar excessivamente cansadas.


Por: Kezia Thaynara



28 de Abril, Dia da Educação!


"...a boa educação é a base de uma nação consciente de seus direitos e deveres, que é capaz de construir o melhor para si e seu país, contribuindo para uma sociedade mais justa e com alta qualidade de vida".




Educação - É o conjunto de técnicas e conhecimentos necessários para a transmissão do saber e dos valores essenciais à sociedade.
Ao professor cabe transmitir conhecimentos e estimular o raciocínio lógico e a visão crítica dos estudantes, ajudando-os no desenvolvimento de habilidades para entrar no mercado de trabalho e assumir seu papel de cidadão.
Atua em todos os níveis da educação, do ensino infantil ao superior. Pode lecionar disciplinas específicas nos cursos profissionalizantes, nas classes de alfabetização, de educação especial (para portadores de deficiência) ou para jovens e adultos (antigo supletivo). Pela Lei de Diretrizes e Bases de 1996, todos os professores, de qualquer nível de ensino, devem ter formação superior a partir de 2007. Para lecionar em faculdade, é preciso, ainda, ter pós-graduação.
Hoje em dia é grande a importância dada à educação. O número de analfabetos no país vem caindo a cada ano e praticamente todas as crianças com idade entre 7 e 14 anos estão matriculadas na escola. E também há um esforço para colocar na pré-escola as crianças com menos de seis anos de idade.
Outra preocupação atual é com a repetência. Professores e o Ministério da Educação buscam formas de evitar a repetência dos alunos para que eles não desanimem e acabem abandonando a escola. Mesmo assim, muitas crianças e jovens têm que deixar de estudar porque precisam trabalhar.
A qualidade do ensino também é um ponto importante para se pensar. Pouco adianta completar séries e ganhar um diploma se não aprendermos de verdade. Por tudo isso, estudar com prazer e buscar compreender o mundo através do que aprendemos é uma boa forma de comemorar o Dia da Educação.


Fontes: IBGE e diversos Sites
Webdesigner: Lika Dutra
Por: Kezia Thaynara

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Dia nacional de combate a Hipertensão

A hipertensão, também conhecida como pressão alta, não tem cura, mas pode ser controlada e tratada, evitando-se, assim, complicações, como o acidente vascular cerebral.

 

Também chamada de pressão alta, a hipertensão é o problema médico mais comum em toda a população mundial. É uma doença silenciosa que ataca os vasos sanguíneos, coração, cérebro, olhos e pode causar a paralisação dos rins.

A hipertensão se caracteriza por ser uma pressão muito elevada nas artérias, com a pressão do sangue maior do que 140/90 mmHg, ou 14 por 9. É uma doença que tem maior incidência na raça negra e que aumenta sua probabilidade de ocorrência conforme a idade. A hipertensão pode ter causas hereditárias, mas também pode ser causada por alguns fatores, como:

→ Má alimentação (excesso de sal e gordura);
→ Obesidade;
→ Uso de certos medicamentos;
→ Estresse;
→ Sedentarismo;
→ Fatores genéticos;
→ Tabagismo;
→ Consumo de bebidas alcoólicas.
Geralmente a hipertensão é uma doença que não apresenta sintomas alarmantes ou claramente identificáveis, e isso faz dela uma doença perigosa. As pessoas que sofrem de casos mais graves de hipertensão têm sintomas mais claros quando a pressão se eleva demasiadamente, como dores no peito, dores de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada, palpitações e sangramento nasal.
O diagnóstico da hipertensão geralmente é feito a partir de um aparelho chamado de esfignomanômetro. Se não diagnosticada rapidamente, essa doença pode trazer sérios prejuízos como:
► AVC (acidente vascular cerebral), também conhecido como derrame;
► Ataque cardíaco;
► Insuficiência cardíaca;
► Insuficiência renal;
► Impotência;
► Problemas na vista;
► Arteriosclerose.

A hipertensão não tem cura, mas tem controle e tratamento, sendo que somente o médico poderá determinar o melhor tipo de tratamento para cada paciente. Além do tratamento, o paciente poderá adotar medidas que previnam o aparecimento da hipertensão, como:

♦ Praticar atividades físicas regularmente;
♦ Ter uma alimentação balanceada com pouco sal e gordura;
♦ Evitar o cigarro;
♦ Evitar o álcool;
♦ Controlar o diabetes;
♦ Aumentar o consumo de fibras;
♦ Controlar o estresse;
♦ Evitar drogas e medicamentos que aumentem a pressão arterial.


                                                                   Por Paula Louredo
                                                                  Graduada em Biologia
                                                                  brasilescola.com

 

quarta-feira, 25 de abril de 2012



Parabéns Itaberá Pelos 121 anos de Emancipação.!




Visite Nossa Página sobre Itaberá e confira a história e mais fotos da cidade, Clicando aqui.


 

Malária

 

A malária é causada por protozoários do gênero Plasmodium, como o Plasmodium vivax, Plasmodium falciparum, Plasmodium malariae e Plasmodium ovale: os dois primeiros ocorrem em nosso país e são mais frequentes na região amazônica.

Essa doença, conhecida também pelos nomes impaludismo, febre palustre, maleita e sezão, tem como vetor fêmeas de alguns mosquitos do gênero Anopheles. Estas, mais ativas ao entardecer, podem transmitir a doença para indivíduos da nossa espécie, uma vez que liberam os parasitas no momento da picada, em sua saliva. Transfusão de sangue sem os devidos critérios de biossegurança, seringas infectadas e mães grávidas adoecidas são outras formas em que há a possibilidade de contágio.

No homem, os esporozoítos infectantes se direcionam até o fígado, dando início a um ciclo que dura, aproximadamente, seis dias para P. falciparum, oito dias para a P. vivax e 12 a 15 dias para a P. malariae, reproduzindo-se assexuadamente até rebentarem as células deste local (no mosquito, a reprodução destes protozoários é sexuada). Após esses eventos, espalham-se pela corrente sanguínea e invadem hemácias, até essas terem o mesmo fim, causando anemia no indivíduo.

Febre alta, sudorese e calafrios, palidez, cansaço, falta de apetite e dores na cabeça e em outras regiões do corpo são os principais sintomas, que podem se manifestar a cada 48 horas, caso a infecção tenha sido causada pelo P. falciparum ou pelo P. vivax; e a cada 72 horas quando o agente causador é o P. malarie (febre quartã). Essa primeira espécie pode, ainda, afetar vários órgãos e sistemas do corpo, como o sistema nervoso e aparelho respiratório.

Para confirmar a presença do parasita no sangue, a análise é feita por meio de uma pequena amostra, geralmente retirada da ponta do dedo do paciente (teste de gota espessa). O tratamento é feito com o uso de fármacos orais e deve ser iniciado o mais rapidamente possível, para evitar complicações como anemia, icterícia e mau funcionamento dos órgãos vitais, além dos riscos que um indivíduo acometido pelo P. falciparum pode estar sujeito.

A prevenção consiste em evitar picadas do mosquito, fazendo o uso de repelentes, calças e camisas de manga longa, principalmente no período de fim da tarde e início da noite. Evitar o acúmulo de água parada a fim de impedir a ovoposição e nascimento de novos mosquitos é outra forma de evitar a malária.
 
O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE:
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.


Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

 

terça-feira, 24 de abril de 2012

Prorrogado até dia 30 o período de inscrições para estágio no Acessa Escola 

 

Jovens da 1ª ou 2ª série do Ensino Médio da rede estadual podem concorrer às vagas nas salas de informática do programa, com bolsa-auxílio de R$340 mensais

Os alunos do Ensino Médio interessados em estagiar nas salas de informática do Acessa Escola terão mais alguns dias para concorrer às vagas. O prazo de inscrições foi prorrogado até às 18 horas do dia 30 de abril. O cadastro deve ser feito no site da Fundap. A taxa de inscrição é R$12.
Podem se candidatar alunos que cursam a 1ª ou 2ª série do Ensino Médio em uma das 3.449 escolas participantes. A lista dessas escolas pode ser consultada na mesma página de inscrição. O candidato precisa ainda ter CPF próprio e 16 anos completos no momento em que ingressar no estágio.
A seleção contará com uma prova, que acontece no dia 6 de maio. A avaliação testará o conhecimento dos jovens em língua portuguesa, matemática, informática e conhecimentos gerais.
O estágio
A carga horária de trabalho é de quatro horas diárias, pela manhã (8h às 12h), tarde (12h às 16h) ou noite (16h às 20h). Além de capacitação na área de informática, também é oferecido aos monitores bolsa-auxílio no valor de R$ 340 mensais e vale-transporte.
O Acessa Escola prevê um contrato de estágio de seis a 12 meses, que poderá ser prorrogado apenas uma vez pelo mesmo período. Os estagiários são responsáveis pelo atendimento aos alunos, professores e funcionários que utilizam as salas de informática do programa, que permanecem abertas o dia todo nas escolas.

                                    

                                                 

                                                   educação.sp.gov


                                                 Os tipos de Frutos




O fruto  que vemos em alguns vegetais se origina do desenvolvimento do ovário da flor e é ele o principal responsável pelo sucesso de muitas plantas. Um fruto é composto por duas partes principais: o pericarpo, que se divide em epicarpo, mesocarpo e endocarpo; e a semente, que se encontra no interior do fruto.

O epicarpo é a parte mais externa do fruto e corresponde à casca. O mesocarpo é a parte intermediária do fruto e corresponde à parte comestível. O endocarpo é a parte mais interna do fruto e corresponde à parte que protege as sementes.
 



Os frutos podem ser classificados em frutos carnosos e frutos secos.

Os frutos carnosos são aqueles que têm pericarpo suculento. Eles são classificados em baga ou drupa. Os frutos carnosos do tipo baga apresentam sementes livres, ou seja, elas ficam dispersas no mesocarpo, sendo facilmente separadas do fruto. Alguns exemplos de frutos carnosos do tipo baga são: melancia, goiaba, pepino, uva, laranja, limão, tomate, entre tantos outros.


Os frutos carnosos do tipo drupa apresentam uma única semente no endocarpo e geralmente o endocarpo é duro e espesso. Alguns exemplos de frutos carnosos do tipo drupa são: abacate, pêssego, ameixa, manga, azeitona, entre outros.






Os frutos secos apresentam seu pericarpo seco e alguns podem se abrir espontaneamente quando as sementes estão maduras. Alguns exemplos de frutos secos são a castanha-do-pará, feijão, ervilha, soja, girassol, arroz, milho, entre outros.







                                       Por Paula Louredo
                                          Graduada em Biologia
                                  Brasilescola.com

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Cor da luz

 

A cor da luz pode ser classificada em monocromática e policromática. A luz branca, por exemplo, sofre refração e decompõe-se nas cores do arco-íris.

 

No estudo sobre ondas vimos que a luz é uma onda eletromagnética que se propaga tanto no vácuo quanto em alguns meios materiais.

Quando olhamos para um abacate, enxergamos a cor verde pelo fato de ele absorver todas as outras cores e refletir apenas o verde. Esse fato acontece com todas as cores (vermelha, amarela, azul etc.). Agora, quando um objeto possui cor branca é porque ele reflete todas as cores que incidem sobre ele.
Sendo assim, podemos dizer que a luz proveniente do Sol e que chega até à Terra é uma soma de todas as cores. Conhecemos essa soma de cores como sendo a emissão de luz branca. Quando o Sol ou uma lâmpada incandescente (aquelas de filamento) emite luz, portanto, dizemos que a luz que provém do Sol ou da lâmpada emite luz branca.
É através de uma simples experiência que podemos evidenciar que tanto a luz que vem do Sol quanto a luz emitida por uma lâmpada de filamento correspondem à soma de cores de luz. Para isso, basta que a luz incida sobre um prisma, para vermos que a luz se decompõe em diversas cores. O mesmo fato acontece na formação do arco-íris. Ao sofrer refração na superfície do prisma, a luz se decompõe em uma infinidade de cores.
Nesses dois fenômenos de decomposição da luz branca, prisma e arco-íris, as cores de luz que mais se destacam são somente sete. Essas cores são também as cores componentes do arco-íris. Seguindo sempre essa ordem de decomposição, são elas: vermelha, alaranjada, amarela, verde, azul, anil evioleta.
A partir da construção do disco de Newton, podemos verificar que a luz branca é um somatório das cores do arco-íris. Na figura acima temos um exemplo de modelo de um disco de Newton. Após construí-lo, basta girá-lo rapidamente para ver que, quando em alta rotação, as diversas cores se compõem em uma única cor branca.
No estudo da luz, podemos classificá-la quanto à quantidade de cores:
Damos o nome de luz monocromática à luz que é constituída por uma única cor, como, por exemplo, a luz amarela, que é emitida pelo vapor de sódio, contido nas lâmpadas de vapor de sódio.
Damos o nome de luz policromática à luz que é constituída por duas ou mais cores, como a luz branca do Sol.
Como mencionamos anteriormente, a luz se decompõe através do fenômeno físico denominado refração. Portanto, cada cor decomposta possui uma velocidade de propagação diferente quando incidida no vidro.
Por exemplo, a cor vermelha é a cor que mais sofre desvio quando sofre refração na superfície do prisma. De tal modo, é a luz que possui a maior velocidade de propagação. Por outro lado, a luz que menos se desvia quando sofre refração é a luz violeta; sendo assim, dizemos que ela é a luz que tem a menor velocidade de propagação dentre as demais cores do espectro.
A velocidade da luz depende do meio onde ela está se propagando. Assim, na refração geralmente ocorre mudança na velocidade de propagação da luz no meio onde incide.


É de suma importância lembrar que a velocidade de propagação da luz em outros meios apresenta valor menor que seu valor quando se propaga no vácuo.

Por Domiciano Marques
Graduado em Física
Brasil Escola

 

 

 

Dia do Livro: Valorizar é Preciso

 

 

O Dia Internacional do Livro e dos Direitos de Autor é comemorado na data de 23 de abril, a qual registra o falecimento de escritores como Cervantes e Shakespeare. É uma comemoração importante, celebrada desde 1996, por decisão da UNESCO.
Quem de nós pode ignorar o livro? Ele talvez seja o essencial entre os produtos essenciais da cesta básica letrada, essa que nos alimenta o espírito. Teve até um Ministro da Educação, o Christovam Buarque, que queria o livro ao lado do feijão na costumeira cesta básica do brasileiro. Por que será que essa ideia não vingou?
Houve tempos em que o livro era composto letra por letra. Hoje, ele é produzido em moderníssimas máquinas, mas continua a ser fruto de um processo trabalhoso.
Após notar a ideia e encher de letras as folhas em branco, o escritor procura uma editora e apresenta os originais para avaliação. Ao final desse processo, eles poderão ser aceitos ou recusados. Se aceitos, seguem-se a assinatura do contrato entre autor e editora, bem como a editoração profissional da obra, um trabalho hercúleo, minucioso, suado. Pronto o livro, o desafio é fazê-lo circular para que o leitor saiba que o livro existe.
Diferentemente disso, um livro pode ser autopublicado. Entretanto, a autopublicação continua a não ser bem vista porque ela, custeada pelo próprio autor, nem sempre é avaliada como deve e termina passando ao largo dos critérios de qualidade exigíveis para o material destinado a virar livro. Os originais contratados para publicação por uma editora, ao contrário, são submetidos a uma análise rigorosíssima, feita por especialistas, o que, quase sempre, valoriza sobremaneira o trabalho. Dá-lhe confiabilidade.
Se o leitor soubesse o quanto de energias demanda um livro, não importando em que modalidade ele chega à luz, certamente o amaria mais, como sugeriu Rilke. Não o estima, por exemplo, quem simplesmente o xerocopia, como se faz nas universidades, nem sempre por má fé, mas por um misto de necessidade e desinformação.
Pensando nisso, e visando a combater a pirataria no setor, a Associação Brasileira de Direitos Reprográficos lançou, em agosto de 2007, um programa chamado “Pasta do Professor”. Esse programa oferece capítulos de livros avulsos aos estudantes, para evitar que eles tenham que xerocopiá-los.
Ocorre que a xerocópia causa prejuízo aos autores e aos editores. Obviamente, não me refiro aos grandes conglomerados capitalistas do setor. Falo de empresas mais modestas e dos autores, os quais, em face da parca remuneração por seu trabalho, simbólica na maioria dos casos, muitas vezes se sentem desestimulados e param de produzir.
Para valorizar o livro, o autor, o editor e todos os profissionais que atuam em sua produção, de maneira esmerada e extrema dedicação, o ideal seria que todos pudessem comprar livros e difundi-los “à mão cheia”, como pediu Castro Alves.
Há muitos séculos, Cícero disse que “Uma casa sem livro é como um corpo sem alma”. Isso se parece com a morte. A vida, ao contrário, sempre multiforme, também está no livro. Como disse Borges, o livro é “uma extensão da memória e da imaginação”.
Imaginação – que não tenhamos medo de usá-la para apoiarmos programas que valorizam o livro, a começar por quem precisa dele para se formar e ter melhores recursos para batalhar pela realização na vida pessoal, profissional e social. 

                                                                  Por Wilson Correia
                                                                 Colunista Brasil Escola

 


Descobrimento do Brasil

Dia 22 de Abril

 

Ultimamente, diversos historiadores refutam a ideia de que o Brasil tenha sido descoberto em 1500 pela esquadra liderada por Pedro Álvares Cabral. Essa revisão sobre o fato usualmente se sustenta no momento em que se destaca o grau de desenvolvimento tecnológico, o controle de informações realizado pelo governo português e a preocupação em se revisar os limites coloniais com a assinatura do Tratado de Tordesilhas.

Para compreendermos melhor essa questão é necessário que observemos alguns episódios anteriores ao anúncio das terras brasileiras. No início de 1500, a Coroa Portuguesa enviou uma expedição que deveria buscar mais um precioso carregamento de especiarias vindo de Calicute, Índia. Essa nova empreitada marítima seria liderada pelo experimente navegador Pedro Álvares Cabral e contaria com a presença do cosmógrafo Duarte Pacheco Pereira.

De acordo com alguns especialistas, Pacheco teria participado de uma expedição secreta que, em 1498, teria constatado a existência das terras brasileiras. Antes da partida, o rei Dom Manuel II organizou uma grande festividade para celebrar a ida dos bravos navegadores que se lançariam às águas do Oceano Atlântico. Depois de celebrar a partida, os navegadores se afastaram da costa africana, contrariando a tradicional rota de circunavegação daquele continente.

A ação tomada nunca teve uma clara explicação, mas se tratando de uma esquadra composta por experientes navegadores, seria no mínimo estranho se lançarem a um tipo de empreitada ausente de qualquer outra segurança. Além disso, devemos salientar que as rotas utilizadas para a navegação eram de extremo sigilo, pois garantiam a supremacia e os interesses comerciais de uma determinada nação. Dessa forma, a ideia do encontro acidental perde ainda mais força.

Os relatos dessa viagem de Cabral pelo Oceano Atlântico não fazem menção a nenhum tipo de grande dificuldade ou imprevisto. No dia 22 de março os navegadores passaram pela Ilha de Cabo Verde e, logo depois, rumaram para o oeste ao encontro do “mar longo”, nome costumeiramente dado ao Oceano Atlântico. Após um mês de viagem e aproximadamente 3600 quilômetros percorridos, os tripulantes da expedição cabralina encontraram os primeiros sinais de terra.

No dia 22 de abril de 1500, no oitavo dia da páscoa cristã, os tripulantes tiveram um primeiro contato visual com um elevado que logo ganhou o nome de Monte Pascoal. Nos relatos de Pero Vaz de Caminha, um dos integrantes da viagem, esse nome é refutado quando o “biógrafo da viagem” afirma que a região ganhou o nome de Vera Cruz. Ao longo desse mesmo relato não existe nenhuma menção sobre um possível encantamento com a “nova” descoberta.

Os navios decidiram primeiramente aportarem nas margens do Rio Frade, de onde enviaram um tradutor judeu chamado Gaspar Gama para entrar em contato com os nativos. Depois de um primeiro contato com os índios, a esquadra decidiu aportar em uma região mais segura, onde hoje se localiza o município baiano de Santa Cruz Cabrália. Em terra firme, os colonizadores lusitanos organizaram uma missa pascoal dirigida pelo Frei Henrique de Coimbra.

A celebração, que oficializou a descoberta e novas terras, cingiu a conquista material da Coroa Portuguesa e abriu caminho para mais espaço de conversão religiosa para a Igreja. Em um primeiro momento a terra ganhou o nome de Vera Cruz, mas logo foi substituído por Terra de Santa Cruz. Em uma última modificação do nome das novas terras, os colonizadores lusitanos decidiram nomeá-la como “Brasil” em face da grande disponibilidade de pau-brasil na região.

No dia 2 de maio de 1500, Pedro Álvares Cabral desmembrou a sua esquadra e partiu para as Índias. Gaspar de Lemos recebeu ordens para que retornasse para Portugal portando as notícias contidas no relato de Pero Vaz de Caminha. Neste documento, havia informações gerais sobre a região explorada e algumas prospecções sobre o potencial econômico local. No entanto, somente três décadas mais tarde, os portugueses iniciaram as atividades regulares de colonização no Brasil.


 Por Rainer Sousa
Mestre em História

sexta-feira, 20 de abril de 2012

ETEC - Centro Paula Souza

Vestibulinho 
2° Semestre de 2012

As Etecs atendem mais de 160mil alunos, em todo o Estado, matriculados no Ensino Técnico em cursos voltados para os setores Industrial, Agropecuário e de Serviço, focados no desenvolvimento de habilidade e competências profissionais.
O estreito relacionamento das Etecs com empresas e produtores propicia a formação ideal para quem deseja ingressar rapidamente no mercado de trabalho.

     

 Inscrições Eletrônicas de:
            27/04 até as 15h do dia 17/05             Exame 17/06

Para mais informações e incrições: http://www.vestibulinhoetec.com.br/home/

quinta-feira, 19 de abril de 2012


Dia do Indio


O dia do índio é comemorado em 19 de abril. Esta data foi criada e decretada em 1943, pelo presidente Getúlio Vargas, como forma de homenagear esse povo.
A população indígena, desde o descobrimento do Brasil, sofreu muito, pois foram perseguidos, agredidos e doutrinados pelos homens brancos.
Quando os portugueses chegaram aqui, encontraram uma população grande de índios espalhados pelas nossas terras, eram aproximadamente seis milhões.
O modo de vida dos índios é bem diferente do homem, pois vivem em aldeias, suas casas são feitas de galhos de árvores e palhas, que recebem o nome de oca. Alimentam-se de raízes, como mandioca, cará, inhame e batata-doce, além da caça e da pesca. Também produzem objetos necessários para sua sobrevivência, como arco e flecha, e para o seu dia-a-dia (vasilhames de cerâmica, cestos de palha, redes, etc.). Costumam pintar seus corpos com tintas extraídas de plantas naturais, como o urucum de cor avermelhada, a beterraba de cor roxa e o azul escuro do jenipapo.
Os índios foram os primeiros habitantes do território brasileiro. São formados por povos diferentes com hábitos, costumes e línguas diferentes. Os mais conhecidos são:
- Os Ianomâmis;
- Os Carajás;
- Os Guaranis;
- Os Tupis.
Existem cerca de 225 sociedades indígenas distribuídas em todo o território brasileiro, corresponde a 0,25% da população do país. Diante das culturas específicas de cada sociedade, somente algumas delas foram anteriormente destacadas.
Existe um órgão do governo federal que cuida dos interesses dos povos indígenas, preservam suas riquezas e sua cultura. A FUNAI - Fundação Nacional do Índio - cumpre com o disposto na Constituição Brasileira de 1988.
                                                                                 
                                                                                      Por Gabriela Cabral
                                                                                      Equipe Brasil Escola

Dia do Exécito Brasileiro

No dia 19 de abril comemora-se o dia do exército brasileiro. A data é marcada pela primeira luta dos povos do Brasil contra a dominação holandesa, em 1648. Os indivíduos que treinam e lutam para defender os espaços e direitos de um país são os integrantes dessa corporação.
O Brasil possui três forças armadas, responsáveis pela defesa do país, e o exército é uma delas.
No período de 1808 até 1967 o responsável pelas ações do exército era o ministério da guerra; entre 1967 e 1999, o controle passou a ser feito pelo ministério do exército. A partir de 1999, criou-se o ministério da defesa, responsável pela defesa nacional, unindo as três forças armadas do país: o exército, a marinha e a aeronáutica.
Por ser mais popularmente conhecido, o exército brasileiro é formado com mais de duzentos mil soldados, tendo um cadastro de reserva que chega a quase quatro milhões.

                                                 
                                                    Por Jussara de Barros
                                                   Graduada em Pedagogia
                                                    Equipe Brasil Escola

quarta-feira, 18 de abril de 2012

5º Encontro de Bandas em comemoração ao 121º Aniversário de nosso município

 

 

 

 

Dia 22 de Abril, a partir das 9:00 hrs 

 

 




Falta apenas 1 semana para iniciarmos as comemorações do aniversario de Itaberá, a partir do dia 25 que é a data do aniversario, até o dia 30 de abril teremos varias atrações para comemorarmos os 121 anos de nossa cidade.

Confira o cartaz da festa


Inscrições para o Vestibular de Meio de Ano 2012 da Unesp 

 

Elas seguem até 10 de maio; resultado das isenções sai na próxima segunda-feira

 

Clique aqui e inscreva-se 

 

A taxa é de R$ 110, treineiros pagam a metade. Na próxima segunda-feira, 23, será divulgado o resultado dos pedidos de isenção e redução em 50% do valor da taxa, serão até 510 benefícios concedidos. As solicitações ocorreram entre 09 e 12 de abril. Aqueles que desejarem podem usar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2010 ou 2011.
Quem não possuir acesso à internet poderá utilizar um dos locais disponibilizados pela instituição citados na página 07 do Manual do Candidato. São oferecidas 465 vagas divididas entre nove cursos nos campi de Ilha Solteira, Registro, Dracena, Sorocaba, Bauru e Ourinhos.
A seleção
Em 18 de maio será publicado o cartão de convocação, com os locais de prova da primeira fase, que ocorre em 03 de junho. Além das cidades citadas acima os testes também ocorrem em Campinas, Guaratinguetá, São José do Rio Preto e São Paulo.
No dia 15 de junho serão divulgados os classificados nesta etapa que farão a segunda fase nos dias 23 e 24 seguintes, com provas específicas do curso escolhido e redação. A primeira etapa é composta por exames de conhecimentos gerais. O resultado final será liberado em 12 de julho.


Por Dayse Luan
Brasil Escola

 

Para Que Serve a Literatura?


A Literatura é a arte da palavra. Podemos dizer que a literatura, assim como a língua que ela utiliza, é um instrumento de comunicação e de interação social, ela cumpre o papel de transmitir os conhecimentos e a cultura de uma comunidade.
A literatura está vinculada à sociedade em que se origina, assim como todo tipo de arte, pois o artista não consegue ser indiferente à realidade.
A obra literária é resultado das relações dinâmicas entre escritor, público e sociedade, porque através de suas obras o artista transmite seus sentimentos e idéias do mundo, levando seu leitor à reflexão e até mesmo à mudança de posição perante a realidade, assim a literatura auxilia no processo de transformação social.
A literatura também pode assumir formas de crítica à realidade circundante e de denúncia social, transformando-se em uma literatura engajada, servindo a uma causa político-ideológica.
Podemos dizer que o texto literário conduz o leitor a mundos imaginários, causando prazer aos sentidos e à sensibilidade do homem.
A literatura transformou-se, em várias partes do mundo, em disciplina escolar dada a sua importância para a língua e a cultura de um país, assim como para a formação de jovens leitores.



                                                   Por Marina Cabral
                                                   Especialista em Língua Portuguesa e Literatura
                                                   Equipe Brasil Escola

 

sexta-feira, 13 de abril de 2012


 Sexta-Feira 13



Há muito tempo, certos dias ou épocas do ano são compreendidas como impregnadas de algum tipo de infortúnio ou má sorte. Atualmente, o encontro do dia 13 com a sexta-feira é repleto de lendas e crendices que deixam os mais supersticiosos de cabelo em pé. Como se não bastasse isso, o cinema norte-americano tratou de imortalizar esta data com uma seqüência de filmes de terror protagonizada por Jason Voorhees, um serial killer que ataca nessa mesma data.

Contudo, poucos sabem dizer qual é a verdadeira origem da “Sexta-feira 13”. De fato, as possibilidades de explicação para esta crença se encontram difundidas em diferentes culturas espalhadas ao redor do mundo. Uma das mais conhecidas justificativas dessa maldição conta que Jesus Cristo foi perseguido por esta data. Antes de ser crucificado em uma sexta-feira, o salvador das religiões cristãs celebrou uma ceia que, ao todo, contava com treze participantes.

Outra explicação sobre essa data remonta à consolidação do poder monárquico na França, especificamente quando o rei Felipe IV sentia-se ameaçado pelo poder e influência exercidos pela Igreja dentro de seu país. Para contornar a situação, tentou se filiar à prestigiada ordem religiosa dos Cavaleiros Templários, que, por sua vez, recusou a entrada do monarca na corporação. Enfurecido, segundo relatos, teria ordenado a perseguição dos templários na sexta-feira, 13 de outubro de 1307.

De acordo com outra história, a maldição da sexta-feira 13 tem a ver com o processo de cristianização dos povos bárbaros que invadiram a Europa no início do período medieval. Antes de se converterem à fé cristã, os escandinavos eram politeístas e tinham grande estima por Friga, deusa do amor e da beleza. Com o processo de conversão, passaram a amaldiçoá-la como uma bruxa que, toda sexta-feira, se reunia com onze feiticeiras e o demônio para rogar pragas contra a humanidade.

Reforçando essa mesma crendice, outra história de origem nórdica fala sobre um grande banquete onde o deus Odin realizou a reunião de outras doze importantes divindades. Ofendido por não ter sido convidado para o evento, Loki, o deus da discórdia e do fogo, foi à reunião e promoveu uma enorme confusão que resultou na morte de Balder, uma das mais belas divindades conhecidas. Com isso, criou-se o mito de que um encontro com treze pessoas sempre termina mal.

Apesar de tantos infortúnios associados a essa data, muitos a interpretam com um significado completamente oposto ao que foi aqui explicado. De acordo com os princípios da numerologia, o treze – por meio da somatória de seus dígitos – é um numeral próximo ao quatro, compreendido como um forte indício de boa sorte. Além disso, indianos, estadunidenses e mexicanos associam o número treze à felicidade e ao futuro próspero.


                                                                             Por Rainer Sousa
                                                                            Graduado em História
                                                                            Equipe Brasil Escola

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Alunos do Ensino Médio podem se inscrever em estágio no Acessa Escola até sexta-feira

 

Estudantes podem concorrer a vaga nas salas de informática do programa. Uma bolsa-auxílio de R$340 por mês é oferecida aos estagiários

Alunos que estão no 1º ou 2º ano do Ensino Médio podem se inscrever, até a próxima sexta-feira (13), no processo seletivo para as vagas de estágio no Acessa Escola. Os candidatos podem se cadastrar, até às 18 horas da data de encerramento, no site da Fundap. A taxa de inscrição custa R$ 12.
Apenas os alunos das 3.449 unidades participantes podem se inscrever. A lista dessas escolas pode ser consultada na mesma página de inscrição. Para participar, o candidato precisa ainda ter CPF próprio e 16 anos completos no momento de ingresso.
A seleção contará com uma prova, que acontece no dia 6 de maio. A avaliação testará o conhecimento dos jovens em língua portuguesa, matemática, informática e conhecimentos gerais. A avaliação deve ser realizada no dia 6 de maio.
O estágio
A carga horária de trabalho é de quatro horas diárias, pela manhã (8h às 12h), tarde (12h às 16h) ou noite (16h às 20h). Além de capacitação na área de informática, também é oferecido aos monitores bolsa-auxílio no valor de R$ 340 mensais e vale-transporte.
O Acessa Escola prevê um contrato de estágio de seis a 12 meses, que poderá ser prorrogado apenas uma vez pelo mesmo período. Os estagiários são responsáveis pelo atendimento aos alunos, professores e funcionários que utilizam as salas de informática do programa, que permanecem abertas o dia todo nas escolas.

 

                                                                         educação.sp.gov

Produtos Orgânicos

Os produtos orgânicos, na linguagem do dia a dia, se referem àqueles produzidos sem o uso de adubos químicos e agrotóxicos. Porém, todos os alimentos contêm compostos orgânicos.

 


Quando você ouve as palavras “Química Orgânica” o que vem à sua mente?
A maioria das pessoas costuma pensar em produtos e principalmente alimentos ditos “naturais”, que são então chamados de “orgânicos”.
No entanto, o que é um produto orgânico? No cotidiano, esse termo é usado para se referir a alimentos produzidos sem adição de adubos químicos e de agrotóxicos.É uma expressão muito empregada pela mídia e seu uso teve início com a ideia de produzir alface e verduras sem esses aditivos químicos, para evitar produtos contaminados e envenenamento.
Com o tempo, porém, essa prática se estendeu a outros produtos, como legumes, frutas, café, vinho, etc. Existem até mesmo produtos orgânicos industrializados.
O preço desses produtos costuma ser maior, mas as vantagens estão no melhor sabor e no fato de serem alimentos mais saudáveis.
A produção desses alimentos é pouca em comparação a daqueles que são feitos com o uso de aditivos químicos. No entanto, esse ramo tem crescido muito no Brasil e esse tipo de alimento já é considerado oficialmente como uma categoria de produto específico, à parte do convencional, com regulamentos para a sua produção, certificação e comercialização.
No entanto, apesar de esse termo já estar bem fixado na linguagem do dia a dia, se formos entender o que é química orgânica, veremos que as expressões “produtos orgânicos”, “hortaliças orgânicas”, “legumes orgânicos”, etc. têm, sem dúvida, um emprego “forçado”. Pois a química orgânica é o estudo dos compostos do elemento carbono com propriedades características.
Assim,todo e qualquer alimento, qualquer que seja seu método de produção, é formado, fundamentalmente, por substancias orgânicas.Os compostos orgânicos estão presentes em todos os seres vivos.
Por exemplo, a glicose é um carboidrato que é produzido nas plantas clorofiladas em um processo denominado fotossíntese. Essa substância é um composto orgânico de fórmula molecular C6H12O6.
Alimentos como arroz, batata, macarrão e farinha são ricos em carboidratos; os óleos vegetais, manteiga e gordura animal possuem lipídios; e a carne, queijo, ovos, presunto e grãos (soja, grão de bico, lentilha, feijão e ervilha) são fontes de proteínas.
A massa do nosso organismo é constituída de 60% de compostos orgânicos, na forma de lipídios, carboidratos e proteínas.





                                                                                     Por Jennifer Fogaça
                                                                                    Graduada em Química
                                                                                  

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Inglês online abre pré-inscrições para 25 mil alunos que formarão segunda turma do curso

 

Estudantes do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos podem se cadastrar entre os dias 9 e 30 de abril

Mais 25 mil estudantes da rede estadual terão a oportunidade de realizar o curso de Inglês Online. As pré-inscrições para os jovens interessados em formar a segunda turma do curso começam nesta segunda-feira (9) e seguem até 30 de abril.
Podem concorrer às vagas alunos matriculados no Ensino Médio e aqueles que cursam o mesmo na Educação de Jovens e Adultos (EJA). O cadastro deve ser feito na página da Escola Virtual de Programas Educacionais do Estado de São Paulo (EVESP), órgão que realiza o curso. Na página também é possível consultar o regulamento geral.
A lista dos candidatos selecionados será divulgada em 3 de maio. Esses estudantes terão até o dia 18 do mesmo mês para efetuar suas matrículas na escola onde estudam. As aulas da nova turma terão início no dia 1º de agosto. Caso restem vagas, uma nova chamada será realizada no dia 22 de maio.
A primeira turma do curso de Inglês Online começou as aulas no dia 5 de março. Com a iniciativa, 25 mil estudantes estão aprendendo a língua em uma plataforma totalmente online. Esses alunos concluem suas aulas em junho.

                                                                     

                                                            educação.sp.gov




quarta-feira, 4 de abril de 2012


Enem terá duas edições em 2013

 
Após a solenidade de comemoração de 1 milhão de bolsas de estudos concedidas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), que ocorreu ontem, dia 23 de janeiro, a presidenta da República, Dilma Rousseff, anunciou que haverá duas edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2013.
A presidenta da República afirmou que: "O Enem é a forma mais democrática de acesso do jovem brasileiro ao ensino universitário. O ProUni também teve de ter suas adaptações, suas melhorias. É assim que se faz programa de governo, é com muita humildade. Nós somos humanos, quando tem erro, a gente tende a aprimorar. Ninguém está dizendo que nada é perfeito. Nós melhoramos e vamos melhorar ainda mais. Vamos ter, no ano que vem, duas edições, isso até por sugestão do ministro".
Eram previstas duas edições do Enem para 2012, porém a decisão teve que ser adiada para o próximo ano. O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou que essa atitude teve que ser tomara devido às questões que vazaram para um grupo de estudantes do Ceará. Segundo o ministro, os questionamentos judiciais, em especial os do Ministério Público, não dão tranquilidade para que o processo seja aperfeiçoado.

                                                                                                   brasilescola.com

segunda-feira, 2 de abril de 2012

 Dia internacional do livro infantil


A literatura infantil surgiu no século XVII, no intuito de educar as crianças moralmente.
Em homenagem ao escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, foi criado o dia internacional do livro infantil, que é comemorado na data de seu nascimento, 02 de abril; em virtude das inúmeras histórias criadas por ele.
Dentre as mais conhecidas mundialmente estão “O Patinho Feio”, “O Soldadinho de Chumbo”, “A Pequena Sereia” e “As Roupas Novas do Imperador”.
A data é conhecida e comemorada mundialmente, em mais de sessenta países, como forma de incentivar e despertar nas crianças o gosto pela leitura.
Tanto os clássicos da literatura infantil quanto os livros somente ilustrados, proporcionaram o desenvolvimento do imaginário das crianças, bem como o aspecto cognitivo, desenvolvendo seu aprendizado em várias áreas da vida.
As histórias reportam valores morais e éticos, que levam o sujeito a repensar suas atitudes do cotidiano, numa reflexão que pode modificar sua ação, tornando-a melhor enquanto pessoa.
Segundo Humberto Eco – escritor, filósofo e linguista italiano – a literatura infantil traz sentido aos fatos que acontecem na vida, envolvendo as crianças. Dessa forma, "qualquer passeio pelos mundos ficcionais tem a mesma função de um brinquedo infantil.
As crianças brincam com a boneca, cavalinho de madeira ou pipa a fim de se familiarizar com as leis físicas do universo e com os atos que realizarão um dia".
Todos os anos a Internacional Board on Books for Young People, oferece o troféu “Hans Christian”, como sendo o prêmio Nobel desse gênero, algumas escritoras brasileiras já foram homenageadas, como Lygia Bojunga, no ano de 1982, e Ana Maria Machado, em 2000.

                                                                             
                                                                             

                                                                             Por Jussara de Barros
                                                                                 Graduada em Pedagogia
                                                                             Equipe Brasil Escola